Usiminas

Caminhos do Vale amplia abrangência em 2018

21-12-2017

Programa da Usiminas, realizado em parceria com a AMVA, será estendido para 10 novas cidades no próximo ano. Além das estradas rurais, matas ciliares também serão recuperadas

Mais de 900km de estradas recuperadas, 935 nascentes restauradas e cerca de 850 mil pessoas beneficiadas em 26 cidades do colar metropolitano do Vale do Aço. Esses são apenas parte dos números que comprovam o sucesso do programa Caminhos do Vale. Os dados foram apresentados na noite de ontem (20/12) a grupo de prefeitos e representantes dos municípios participantes, novos entrantes e da Associação de Municípios do Vale do Aço (AMVA), durante a reunião de encerramento das atividades de 2017, realizada no Teatro Zélia Olguim, em Ipatinga.

E a expectativa da Usiminas, idealizadora da ação, é que os resultados sejam ainda melhores em 2018, com a ampliação das atividades para mais 10 cidades do entorno do Vale do Aço, totalizando 36 municípios participantes, e a chegada de novos parceiros. “A grande procura por informações sobre o programa e o crescimento das adesões mostra que estramos conquistando resultados reais para a população, por meio da atuação conjunta entre poder público, empresas e entidades diversas. Queremos juntos buscar soluções para o desenvolvimento de nossas comunidades da região”, avalia o diretor da Usina de Ipatinga, Roberto Maia.

Outra novidade para o próximo ano é a aplicação do agregado siderúrgico, com tratamento especial, também na recuperação de matas ciliares. Estudos realizados nos últimos meses indicam que o material apresenta bons resultados como corretivo do solo e contribui para a estabilização das margens de rios e córregos durante o período de crescimento das árvores.

Boas práticas

Durante o encontro, as prefeituras de Brunas e Belo Oriente apresentaram experiência de sucesso a partir da aplicação do agregado siderúrgico. “Temos quase 50% do território do município como Área de Proteção Ambiental (APA), onde atuamos dentro das contrapartidas do programa. Realizamos um plano de manejo para as cabeceiras e desenvolvemos ações de preservação das nascentes, flora e fauna, com registro de uma diversidade de animais que vivem nas matas”, contou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Belo Oriente, Geraldo Antero.

Em Braúnas, onde 70% da população vive nas áreas rurais, o cuidado com as vias de acesso está entre as principais demandas da administração municipal, como contou o prefeito Jovani Duarte. “O Caminhos do Vale nos proporcionou criar um programa de adequação das estradas e também das propriedades. Entendemos que era preciso atuar onde estão as nascentes, acontecem as erosões no solo em função das pastagens e diversas realidades particulares. Estamos tratando as questões sociais e ambientais”, resumiu.

“Todos os municípios precisam ter atenção com aplicação correta do material, assim como o desenvolvimento das ações socioambientais. Além destes apresentados, temos ótimos exemplos de nascentes quase secas que foram recuperadas, como em Periquito, criação de viveiros de mudas e fossas em Iapu, entre outros”, acrescentou o secretário-executivo da AMVA, Albson Alvarenga.

Sobre o Caminhos do Vale

Desenvolvido há cerca de três anos, o Caminhos do Vale destina o agregado siderúrgico – oriundo do processo de produção de Aciaria – com alta resistência ao desgaste, para a pavimentação de estradas rurais na região do Vale do Aço. Em contrapartida à doação do produto pela Usiminas, as prefeituras participantes se comprometem com o desenvolvimento de programas socioambientais em prol das comunidades e com a recuperação de nascentes.


Categorizados em: Notícias, Releases