Usiminas

Mais do que o aço, a Usiminas oferece soluções para os maiores desafios industriais do País.  No carro, no navio. Na geladeira, no fogão.  Na plataforma de petróleo, no trator. Nas máquinas das indústrias e muito mais.  Não à toa é um dos principais complexos siderúrgicos das Américas.

O aço Usiminas está presente onde o conhecimento e a inovação ditam o futuro.  Por isso, a empresa investe na modernização de suas unidades e em produtos de conteúdo tecnológico diferenciado, sempre em sintonia com tendências mundiais de pesquisa e aplicação.

Na base de tudo, uma equipe capacitada, que conjuga experiência e desenvolvimento constante na busca por produtividade.

E quem busca a excelência sabe que os resultados podem ser compartilhados. Por isso, a Usiminas atua com sustentabilidade e responsabilidade social.  Por meio da Fundação São Francisco Xavier, investe em educação e saúde. Com o Instituto Cultural Usiminas, apoia a cultura e o esporte.  E ainda promove iniciativas ambientais como o Projeto Xerimbabo, com mais de dois milhões de visitantes em quase três décadas.

Com tecnologia, conhecimento e qualidade. É dessa forma que a Usiminas constrói o futuro.

Para fazer melhor, sempre.

Conheça as empresas do grupo


É a força de sua equipe que torna o conhecimento da Usiminas referência. Por isso é a siderúrgica com maior número de patentes na América Latina.

Como diferencial estratégico, um moderno e pioneiro Centro de Pesquisa e Desenvolvimento desenvolve novos aços e aprimora os processos produtivos, que seguem parâmetros de benchmarking na busca por maior eficiência operacional e produtividade.

São mais de 40 anos de pesquisas e de promoção do desenvolvimento do aço e de seus processos, contribuindo para a satisfação dos clientes e para a elevação do patamar tecnológico da indústria brasileira.

Os 17 laboratórios, localizados na Usina de Ipatinga, absorvem, geram e disseminam conhecimentos científicos e tecnológicos voltados para:

  • Caracterização e avaliação de matérias-primas, insumos, resíduos e materiais diversos relacionados aos processos de produção do aço;
  • Melhoria e desenvolvimento de processos e produtos;
  • Racionalização de custos;
  • Caracterização e engenharia de aplicação de produtos;
  • Preservação do meio ambiente;
  • Identificação e avaliação de novas tecnologias.

 

A Usiminas está presente em seis estados do Brasil, contemplando toda a cadeia produtiva do aço – da produção do minério até as grandes estruturas metálicas.

Confira no mapa nossas unidades.

Usiminas 1962 – 2015

+ expandir todos

Década de 1960

A Usiminas inicia suas operações, em Ipatinga (MG), em 26 de outubro de 1962.

1962
A Usina Intendente Câmara é inaugurada no dia 26 de outubro de 1962, em Ipatinga (MG), com o acendimento do Alto-Forno 1, dando início, 24 horas depois, à primeira corrida de gusa e, portanto, à primeira produção industrial da Usiminas.



1964
Início da exportação de aço com o embarque a bordo do navio “San Miguel”, no Porto de Vitória, do primeiro carregamento de chapas grossas para a Argentina.




1965
São inauguradas a Laminação de Tiras a Quente, a segunda bateria da Coqueria, a Linha de Acabamento de Tiras a Quente, o segundo Alto-Forno e a Laminação de Tiras a Frio. Essas inaugurações permitem a complementação do ciclo que torna a Usina Intendente Câmara uma usina de produção integrada.



1966
Iniciada a fabricação de aços para tubulações de alta pressão da série API, e de aços de alta resistência à tração e boa soldabilidade SAR 50 e 55. São aços de alto desempenho, para atendimento a grandes tubulações e ao setor de petróleo.
1969
A Usiminas fecha a década atendendo a 50% da demanda nacional por chapas grossas, principalmente para os setores naval e ferroviário.


Década de 1970

É o auge do Milagre Econômico. A Usiminas investe para atender ao forte ciclo de expansão da indústria brasileira.

1970
A Usiminas Mecânica é criada para agregar valor ao setor de bens de capital e infraestrutura. No ano seguinte inicia a fabricação de estruturas metálicas e de pontes, para promover a utilização do aço, e inaugura sua fábrica de perfis soldados, em Ipatinga.


1971
A Usiminas inaugura o Centro de Pesquisas da empresa, o maior em siderurgia da America Latina, consolidando seu diferencial tecnológico e de qualidade.



1974
A inauguração do Alto Forno nº 3 proporcionou à Usiminas capacidade de produção de 3,5 milhões de toneladas de aço ao ano. Juntamente com o início da operação do Alto Forno 3, foram iniciadas as obras do Forno Contínuo de Reaquecimento de Placas nº2, para duplicar a capacidade de produção da laminação de tiras a quente da usina.



Década de 1980

O Brasil vive uma recessão econômica. O momento exige prudência, mas sem perder as oportunidades de modernização e aumento da qualidade para o longo prazo.

1980
A Usiminas inaugura seu novo Edifício Sede, em Belo Horizonte.


1982
A Usiminas desenvolve e inicia a produção do aço SAC (soldável, de alta resistência e melhor desempenho à corrosão), voltado para a indústria de construção civil e infraestrutura.

1984
É realizada a primeira edição do Projeto Xerimbabo. Focado na educação ambiental, o projeto, cujo nome indígena significa “animal de estimação”, iniciou sua trajetória desenvolvendo cursos, seminários e exposições, visando integrar o homem e a natureza com a finalidade de proporcionar equilíbrio ao planeta.



1989
Tem início a certificação de engenheiros pela American Society for Quality. A formação dos chamados CQEs (Certified Quality Engineers) é uma prática na Usiminas até os dias de hoje, constituindo um dos diferenciais da empresa.

Década de 1990

Com a abertura da economia brasileira, a Usiminas foi a primeira empresa a ser privatizada no País.

1991
O leilão de privatização da Usiminas marcou o início do Programa Nacional de Desestatização (PND). A companhia foi escolhida entre várias empresas para abrir o ciclo de negociações por ser considerada um atrativo para o setor privado.


1993
Foi criado o Instituto Cultural Usiminas, braço da empresa responsável pela gestão de projetos patrocinados e espaços culturais, além do desenvolvimento de programas educacionais e de formação. Foi neste ano também que a Usiminas adquiriu parte do controle acionário da Companhia Siderúrgica Paulista (Cosipa), instalada em Cubatão (SP), ampliando a capacidade e a base de clientes do grupo.




1996
A Usiminas foi a primeira siderúrgica do Brasil e a segunda do mundo a alcançar o certificado ISO 14001 (de gestão ambiental), que endossou o profundo respeito da empresa pelos recursos naturais e seu reconhecimento de que a preservação e proteção do Meio Ambiente devem ser promovidas em respeito às gerações presentes e futuras.



1999
A Usiminas inaugurou a mais moderna linha de laminação a frio do país – a Laminação a Frio 2, com capacidade para produzir 1 milhão de toneladas de aços laminados por ano.




Década de 2000

A economia brasileira está em franca expansão, e a Usiminas se aproxima ainda mais de setores que exigem alto valor agregado.

2000
Foi inaugurada a Unigal, joint venture entre Usiminas e Nippon Steel & Sumitomo Metal Corporation, em Ipatinga (MG). A parceria inaugura a primeira linha de galvanização a quente (HDG), produto de alto valor agregado, bastante demandado pelas montadoras.



2005
A Usiminas fez sua estreia na Latibex, bolsa espanhola onde são negociados apenas papéis de empresas latino-americanas.


2007
Os produtos da Usiminas recebem certificação pelas normas europeias ELV e RoHS, de produção ecologicamente correta. Com isso, a empresa amplia a possibilidade de atuação nos mercados europeus, que possuem regras estritas de utilização de componentes químicos.
2009
Criada a Soluções Usiminas, subsidiária que reforça a atuação do grupo em serviços, transformação e distribuição de aço. Com capacidade para processar mais de 2 milhões de toneladas de aços planos/ano, a Soluções nasceu da consolidação das empresas Rio Negro, Dufer, Fasal e Zamprogna, e das unidades industriais Usial e Usicort em uma única companhia.A incorporação definitiva da Cosipa à Usiminas, consolidando a empresa como a maior produtora de aços planos da América Latina.



Década de 2010

A Usiminas atinge um novo patamar tecnológico, atua de forma integrada e investe no futuro.

2010
Criada a Mineração Usiminas, em Itatiaiuçu (MG), joint venture entre Usiminas e Sumitomo Corporation, com o objetivo de abastecer parte da demanda das usinas e também atuar no mercado interno e externo.Neste ano também foi lançada a linha de chapas grossas Sincron, produto com desempenho superior, próprio para atender às demandas do pré-sal e da indústria naval. A produção da nova família de aços foi possibilitada pela instalação, na Usina de Ipatinga, da tecnologia CLC (Continuous on-line Control), até então exclusiva da Nippon Steel & Sumitomo Metal Corporation.



2011
A Unigal Usiminas inaugura uma nova linha de galvanização por imersão a quente. O novo investimento mais que duplica a capacidade de produção de aços galvanizados da companhia, visando atender à crescente demanda do mercado automotivo nacional.


2012
Foi inaugurada uma nova Linha de Tiras a Quente na Usina de Cubatão, uma das mais modernas em operação no mundo. Ela é capaz de produzir bobinas com dimensões inéditas no País, que propiciam a fabricação de tubos de 24” de diâmetro, em espessuras de até 20mm. Dessa forma, oferece produtos diferenciados no mercado, podendo atender mercados de alto valor como extração de petróleo, construção de gasodutos etc.


2013
Como resultado de um trabalho de maior integração com seus clientes, a Usiminas registra o maior patamar de vendas internas dos últimos cinco anos: 5,4 milhões de t.


2015
O grupo Fiat-Chrysler Automobiles (FCA) inaugura a fábrica da Jeep no Brasil, em Goiana-PE, tendo a Usiminas como parceria no fornecimento de aço para a fabricação dos veículos. Além disso, a Soluções Usiminas participa com serviços de corte e estoque do produto, mediante investimentos de R$ 63 milhões em sua unidade no Complexo Industrial Portuário de Suape.

 

Informações Relacionadas